quarta-feira, 20 de março de 2013

CADA VEZ MAIS ÓRFÃOS...

O cantor Emilio Santiago morreu hoje no Rio de Janeiro, aos 66 anos de idade. Internado no Centro de Terapia Intensiva do Hospital Samaritano, em Botafogo, desde o dia 7 de março devido ao um acidente vascular cerebral, o cantor não resistiu e faleceu ás 6:30 dessa manhã.

Vencedor de diversos festivais de música, Emílio iniciou a carreira na década de 70 e gravou grandes sucessos como "Saygon", "Lembra de mim" e "Verdade chinesa". O último disco do cantor foi "Só danço samba (ao vivo)", lançado em 2012, junto com um DVD. A série "Aquarela brasileira", responsável por aumentar consideravelmente sua popularidade no país, teve mais seis volumes, o último deles lançado em 1995. Um de seus mais importantes trabalhos, "Feito para ouvir", de 1977, foi reeditado pela Dubas Musica em 2009. Outro relançamento em sua carreira aconteceu em 1989 com "Brasileiríssimas", seu segundo disco, originalmente de 1976.



Entre seus maiores sucessos estão "Saigon", "Verdade Chinesa", "Lembra de mim", "Vai e vem", "Tudo que se quer" e "Flor de lis". Seu último disco saiu em 2012, uma versão ao vivo de "Só danço samba", de 2010 – que,  por sua vez, foi o primeiro trabalho do selo Santiago Music. O álbum é uma homenagem ao  "rei dos bailes" Ed Lincoln, trazendo canções que fizeram sucesso nos clubes do Rio de Janeiro nos anos 60, além de músicas atuais de artistas como Mart'nália, Jorge Aragão e Dona Ivone Lara. Ao todo, sua discografia conta com 30 álbuns e 4 DVDs.

Desaparece um pouco com Emilio Santiago a tradição de cantores populares com vozes potentes, harmoniosas e de repertório eclético, cada vez mais raras no cenário da nossa MPB. Nossa aquarela brasileira perde uma de suas mais vibrantes cores. Uma pena...


Nenhum comentário: