quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

UMA PALIDEZ NA BRANCURA...

"A Whiter Shade of Pale" estourou nas paradas de sucesso de 1967 como o maior hit da banda britânica Procol Harum - cujo nome já dá margem a discussões. Uns afirmam ter sido tirado de um gato birmanês pertencente ao produtor da banda. Outros atribuem a uma derivação do termo latino procol his (além dessas coisas).

Mas, polêmicas à parte, o que interessa é que a canção foi a primeira (ou uma das primeiras) a incorporar elementos da música sinfônica, dando a partida para o que mais tarde se identificou como classic rock ou symphonic rock - apesar da banda também ter se dedicado ao blues e ao R&B e ao soul.



A Whiter Shade of Pale" marcou época num período marcado pela psicodelia de The Doors (Light My Fire), Beatles (Sargeant Pepper's) e Jefferson Airplane (Somebody to Love), por exemplo e catapultou a carreira da banda que passou a abrir os shows de ninguém menos que... Jimi Hendrix. É uma das músicas mais gravadas e tocadas em todos os tempos.

sábado, 24 de dezembro de 2011

FIM DE ANO...

Como e natural em todo fim de ano, pululam na caixa postal os mais variados votos de Feliz Natal, Ano Novo, etc. Ha de todos os tipos, criativos ou mais conservadores, alegres ou mais formais, moderninhos ou quadradinhos. O formato não interessa, o que vem ao caso e que alguem se lembrou da gente neste periodo de congracamento cristão. Aqui vai minha contribuicão, no fundo mais uma reflexão sobre nossa relacão com o Divino, enviada por Selma Barbosa de Oliveira, psicoterapeuta e uma pessoa proxima e muito querida.

Isso, certamente, é o que Deus quer.


"Pára de ficar rezando e de bater no peito! O que eu quero é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.

Pára de ir a certos templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo ergueste e que acreditais serem a minha casa. Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias e no coração das pessoas. Eu nunca te disse que há algo maligno em ti ou que és um pecador, ou que tua sexualidade é algo mau. O sexo é um presente para expressares teu amor, tua alegria.


Pára de ficar lendo supostas escrituras que mais têm a ver com ignorância e miséria humanas do que com minha grandeza e bondade. Hás de ler-me num amanhecer, numa paisagem, no olhar de amigos, no teu filhinho. Sim, me encontrarás em um bom livro, numa poesia, numa obra de arte e, quem sabe, em um mendigo, num enfermo, num injustiçado, numa folha seca.

Ter medo de mim? Eu não te julgo, nem te critico, não me irrito, nem te incomodo nem castigo. Amor eu sou, puro amor. Teu modo de me louvar é confiar em mim. Pára de me pedir perdão. Se Eu te fiz, eu te enchi de paixões, delimitações e prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências e fragilidades.

Como posso te castigar por ser como és, se eu sou quem te fez? Meu nome é Compaixão. Crês que eu seria capaz de criar um lugar para punir filhos meus, pelo resto da eternidade, só porque não deram conta de se comportarem bem? Que tipo de Deus poderia fazer isso? Que idéia é essa?

Respeita teu próximo e não faças a ele o que não queres para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção à tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia. Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.

Esta vida é o único tesouro que há; o único de que precisas para me homenagear, aproveitando a vida. Eu te fiz livre, isto é, relativamente responsável. Não há prêmios nem castigos. Ninguém preenche um placar. Ninguém leva um registro. Tu és condicionalmente livre para fazer de sua vida uma dávida ou uma ameaça, um céu ou um inferno.

Vive como se esta vida fosse a única oportunidade de existir, de aproveitar, de amar. Assim, terás aproveitado bem da oportunidade que te dei, sendo correto e vivendo feliz. Só irei te perguntar se gostaste; se te divertiste e do que mais gostaste; o bem que fizeste, o que aprendeste e se valeu a pena. Quero que Me sintas em ti, ao beijar tua amada, ao agasalhar tua filhinha, ao acariciar teu cachorro, ao nadar no mar.


Pára de me louvar! Aborreço-me quando me pedem desculpa. Canso-me quando me agradecem, me louvam. Tu te sentes grato? Basta isto. Cuida de ti, de tua saúde, de tuas relações, do ambiente. Expressa tua alegria! Este é o jeito, o único, de me louvar. Entendeste? Para que mais? Procura-me dentro de ti, nos outros, nas coisas e, sobretudo,nas relações que vives. Aí é que estou, sempre estarei, abraçado contigo".

BARUCH SPINOZA - Filósofo